FOLHA DA MULHER SJP - ED 107 - MAR 2021

Tornar mais leve

Uma proposta para você neste momento

Sim. Já faz mais de um ano que estamos nesse turbilhão de incertezas. Mas, para nós mulheres isso sempre foi uma rotina. Como dizem por ai, “somos mulheres de fase”. Diariamente estamos assumindo vários papeis, somos a mãe, a empregada, a professora, a esposa. 
Muitas de nós, todos os dias ao acordar colocamos nossa armadura e partimos para a batalha. Acho interessante ver nas reportagens ou até pessoas falando do quanto tal mulher é batalhadora e guerreira. E, é sobre isso que quero falar. Durante muito tempo, e ainda hoje, visto esta armadura. Mas, justamente nesses tempos de crises que consegui (ou fui obrigada) a parar um pouquinho e observar o quanto estar vestida assim e em alerta é pesaroso. O  quanto cansa.
Não estou nem falando sobre direitos femininos, proteção à mulher. Por que são coisas que não se devem nem ser questionadas e sim fazer parte da consciência de cada um, que a mulher deve ser protegida, respeitada e valorizada. Ou melhor, devemos sim levantar uma bandeira não apenas pelas mulheres, mas pelas crianças, adolescentes, idosos, e por que não, pelos homens? Então, sobre esse assunto vamos levantar sim uma bandeira “PELA VIDA”.
E usando a referência da bandeira, elas não são feitas de ferro ou aço, e em muitas batalhas são usadas pra pedir um tempo, para parar com a guerra. Não vamos usar aqui a palavra desistir, mas dar uma trégua. Precisamos, realmente precisamos, dar um tempo. Largar as armas. Parar. Prestar atenção nas coisas simples, ouvir  (prestando atenção) as pessoas que fazem parte da nossa vida. O dia tem 24 horas, e nada que você faça irá mudar isso. Precisamos aprender a não ficar só olhando nosso passado, nossos erros e falhas, pois isso nos trás depressão. E também não focar apenas no que será nosso futuro, pois isso nos trás ansiedade. E como estamos ansiosos ultimamente. 
Sei que não é fácil, mas proponho a você “Mulher Guerreira”, que pare uns minutinhos do seu dia, sente-se e apenas respire de forma suave e tranquila. Não faça mais nada além de prestar atenção em sua respiração, nem tente controlar seus pensamentos, deixe irem e virem. Cinco minutinhos. Depois disso, apenas vá em frente ao espelho, e perceba que pode cuidar e amar essa mulher também.

Jornal Folha da Mulher - São José dos Pinhais 

Ano 10 - Edição 107 - São José dos Pinhais - Março 2021

FOLHA DA MULHER SJP - ED 104 - DEZ 2020

Então é Natal...

Que seja feliz, quem souber o que é o bem

 

 

É um clichê, mas dessa vez podemos falar com todas as letras “parece que foi ontem que brindamos a virada do ano, saudando 2020”. E que ano, hein?

Os dias passaram tão rápido, mas para muitos deixou marcas tão profundas... Feridas que ainda doem, que ainda não entendemos. Nos recolhemos em nossas casas, aprendemos a trabalhar sem ter o contato direto com outras pessoas. Isolamento social.

Acabamos por colocar goela abaixo um remédio que já usávamos há muito tempo: nos tornamos virtuais. As redes sociais que nos separavam uns dos outros, serviu para continuar a ter contato com quem não poderíamos estar visitando. Porém, o mais engraçado de tudo isso, é que quando podíamos visitar, abraçar, mostrar nossa preocupação, estávamos muito ocupados em nossos celulares e computadores.

Passar mais tempo com nossos filhos e cônjuges trouxe a tona algumas questões. Sermos pais e mães 24 horas por dia. Porque sejamos honestos, termos nosso dia atarefado, deixar nossos filhos nos colégios, e normalmente apenas a noite, verificar se tudo correu bem é fácil. Mas, saber que seríamos nós quem teriam que acompanhar atividades, ouvi-los e lidar com a necessidade de atenção, exigiu um novo posicionamento.

Este ano fez com que precisássemos nos recolher em nossas casas, e isto fez com que deixássemos o nosso interior vir a tona. O que era bom ou ruim foi evidenciado. E isso ajudou para que muitos de nós procurássemos nos encontrar como pessoa, como ser humano.  Mudar nossas prioridades e valorizar mais os outros.

Então como saldo positivo, em meio a tanta tristeza e incertezas. Podemos dizer... “Então é natal!” Que mesmo não tão juntinhos, possamos vibrar e demonstrar aos nossos familiares e amigos o quanto são importantes para nós. Que a energia do natal nos traga força e esperança para receber esse novo ano que inicia, acreditando que sempre dias melhores virão. E que nossos abraços, virtuais ou não, sejam sentidos pelos que amamos.

Que nunca esqueçamos que fazemos parte de um todo. Que nossa frequência ao irradiar coisas boas e gratidão tende a tornar o lugar que vivemos muito melhor. Que sejamos e busquemos cada dia melhorar um pouquinho como seres humanos, para evoluir cada dia mais.

Um feliz natal e ano novo também... Que seja feliz quem, souber o que é o bem...

Jornal Folha da Mulher - São José dos Pinhais 

Ano 9 - Edição 104 - São José dos Pinhais - Dezembro 2020

Tratamentos alternativos

 

 

 

Não tem como negar o crescimento na procura pelos tratamentos alternativos. É claro que temos que entender que um tratamento holístico, assim como qualquer tratamento convencional, apresenta resultados diferentes de uma pessoa para a outra. Além de que, são tratamentos sutis, aonde seus resultados vão acontecendo gradativamente, com a vantagem de que não são tão agressivos ao nosso organismo.

                Mas, o grande ponto em questão, é perceber que está acontecendo uma mudança de pensamento nas pessoas. Estão percebendo que somos um todo; que o físico, o mental e o espiritual estão ligados, que não tem como cuidar de um e não cuidar de outro. Dizer que estaremos 100% saudáveis, será sempre uma utopia. Então o que devemos buscar é estar harmônicos em todos os sentidos.

                Com a aceitação dos conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa, por parte de nós ocidentais, temos ao nosso alcance inúmeras técnicas e terapias para trabalhar em nossos atendimentos, não apenas a doença de forma isolada, mas investigar e descobrir as causas que a provocam.

                A melhora e o bem-estar de quem nos procura são os nossos maiores objetivos como terapeutas. Mas, a nossa primeira obrigação é deixar bem claro que as terapias trabalham em conjunto com o tratamento médico, principalmente em caso de doenças graves.

                Hoje se procura a cura em todos os sentidos, e o simples bom dia, boa tarde ou boa noite, já nos traz um sentimento de pertencimento e de importância. Os procedimentos são realizados em um ambiente acolhedor, com sons e músicas que inspiram a paz interior. Com um sorriso de boas-vindas, o tratamento se inicia em ambas as partes.

                Ser uma alternativa, poder ajudar com todo o nosso carinho, dedicação e acolhimento a quem nos procura, faz o nosso trabalho ser algo significativo em nossas vidas. Cada atendimento vem de encontro a nossa busca pessoal, como um ser em evolução e em constante aprendizagem. O atendimento é algo recíproco, pois o terapeuta também recebe algo em troca, são experiências de vida que todos temos. Para assim, realmente pertencer a um todo, buscando o melhor para a coletividade.

Jornal Folha da Mulher - São José dos Pinhais 

Ano 9 - Edição 103 - São José dos Pinhais - Novembro 2020